É possível viajar, ir de férias, viver fora e ao mesmo tempo manter um estilo de vida saudável?

Viajar, passear, férias! Quem não adora? Explorar o mundo, conhecer novas realidades, conhecer novas pessoas, conhecer melhor quem somos. Significa sair do conforto e amar o desconforto, o desconhecido. Descobrir novas paisagens, novas paixões. E para tudo isto, há algo que temos de quebrar, algo que temos de deixar para trás, e que em muitos pode criar alguma comichão. Do que estou a falar? Da nossa ROTINA.

Para nos perdermos no mundo e nos encontrarmos mais a nós mesmos, precisamos de quebrar uma certa rotina que temos enraizada e que nos é tão confortável.

E agora? Sem a nossa rotina? Como conseguimos manter os nossos hábitos saudáveis? Sem o nosso ginásio a quinze minutos de carro? Sem o nosso mercado para comprar produtos frescos todos os dias? Sem a nossa hora de almoço certinha com a refeição naquele tupperware? E sem lancharmos duas horas certinhas, depois? Conseguimos manter o nosso estilo de vida saudável sem a nossa rotina diária?

SIM CONSEGUIMOS!!! Porque na verdade ter um estilo de vida saudável é muito mais que essa rotina! E isso é o primeiro ponto que temos de ter na nossa mente: Se somos saudáveis numa parte do mundo, conseguimos sê-lo no resto do mundo. E isto é certinho como o destino (não estivéssemos nós a falar de destinos!).

Ser saudável e ter um estilo de vida saudável não significa que não possamos experimentar um prato novo de vez em quando, não significa que não possamos atrasar ou adiantar o exercício físico do final da tarde para vermos um lindo e espetacular pôr-do-sol. Bem pelo contrário, ser saudável é também saber aproveitar tudo, o que de incrível, o mundo tem para nos oferecer!

Conseguimos ser saudáveis sem as nossas clássicas papas de aveia de manhã e sem o nosso ginásio ao final do dia? Sim, claro que conseguimos! Como?

Para explicar melhor, darei o meu exemplo:

Quando vim para Moçambique toda a gente me dizia a mesma coisa ao chegar: Prepara-te para engordar, Bárbara!. Claro que eu estava assustada! Não pela parte de engordar, mas por, eventualmente, não conseguir manter o meu estilo de vida saudável. Sabia que não ia ter o meu ginásio, mas sou uma pessoa motivada e focada e decidi logo que teria de arranjar um método para manter a minha rotina, fora da rotina.

Em relação à alimentação foi relativamente fácil, porque para o almoço tenho uma pessoa que cozinha cá em casa, então desde logo dei a entender que preferia tudo grelhado! O que foi espetacular porque cá são peritos na grelha. Então o meu almoço e jantar é sempre peixe (e aqui na Ilha há muuuuuuuuuuuuuuuuito peixe) ou frango grelhado. Acompanho sempre com os legumes e vegetais da época, porque aqui não há como não fazer uma alimentação sazonal. Se não é tempo de um alimento, simplesmente não há. O mesmo em relação à fruta. Almoçar fora ou jantar fora também é possível mantendo os meus hábitos saudáveis, é uma questão de saber o que escolher. Ok que aqui tenho a vida facilitada por estar numa ilha e porque normalmente o que os restaurantes têm de melhor são os peixes grelhados. Mas e o caril de caranguejo? E o caril de lulas? E a matapa? E as chamuças? Pois! Também são coisas boas que tenho de saber quando dizer chega! Provar, experimentar, de vez em quando! Mas lá porque estamos num sítio com algo muito típico não significa que o devemos consumir sempre que vamos jantar ou almoçar fora! A cerveja , por exemplo , é só a melhor cerveja do mundo para mim (2M, Manica, Impala, quem já provou???). Mas não a vou beber sempre que jantar ou almoçar fora! Há que saber ser ponderado. E vamos lá ver, se exageramos em alguma coisa, deixa de ser especial, correto? É assim que eu penso!

Em relação à atividade física, aí já teve de haver um esforço maior da minha parte. Faz muito calor na Ilha e mesmo quando o sol se põe, as temperaturas continuam altas. Pelo menos a comparar com Portugal. O sol nasce cedo e põe-se cedo. Uma vez experimentei ir correr às seis da manhã. Posso dizer que dei dois passos e voltei para casa a suar… Impossível! Então, lá ganhei o hábito de ir correr ao fim do dia, com o sol a pôr. Dou meia volta à Ilha e depois vou para o meu telhado (que tem uma brisa mínima) fazer exercícios localizados com duas garrafas de água a servir de halteres! Ah pois, há que improvisar! Os exercícios foram-me dados por um Personal Trainer que sabia que ia estar em Moçambique durante nove meses, até agora alterei algumas coisas com ideias que vejo no site da Vida Ativa e até hoje consegui sobreviver e ter as minhas práticas diárias. Na Ilha sou conhecida como a Doutora que corre e isso, para além de me fazer rir, faz-me sentir bem comigo mesma, porque na verdade nunca achei que seria fácil ir viver para o fim do mundo e arranjar tão facilmente métodos para manter o meu estilo de vida. E afinal, foi e é fácil!!

E digo-vos, mesmo quando passo fins-de-semana fora da Ilha, por exemplo em Chocas Mar, consigo manter a prática e ir correr ao final do dia para a praia!

Por isso, para quem anda a viajar ou vai viajar por sítios paradisíacos em que só tem praia e coisas boas para comer: MALTA, É POSSÍVEL! Correr ao fim do dia na praia é top!!!! No fim fazem uns agachamentos, umas pranchas, ou vejam exercício no site  Vida Ativa!

Quem vai para cidades, mesmo que seja só por uns dias: encontrem um parque engraçado, perto do sítio onde estão e façam lá o vosso exercício ao final do dia ou pela manhã, até é uma maneira diferente de explorar a cidade. Por exemplo, nos primeiros três meses que vivi em Moçambique estive em Nampula e era isso que fazia. E acreditem, há cidades bem mais interessantes e bonitas no mundo (TODAS POSSÍVELMENTE!) para se ir correr para um parque perto de casa. Se eu consegui fazê-lo em Nampula, então vocês também hão de o conseguir onde quer que estejam!

Ainda para quem vai para cidades em modo explorador, uma das formas engraçadas também de conhecer sítios e fazer uma alimentação saudável é procurar quais os restaurante e cafés fancy com comida saudável que existem! Façam essa pesquisa antes de ir e experimentem! Claro que também devem experimentar a comida típica, mas não  devem comer sempre batatas fritas e waffles lá porque estão na bélgica!

Explorar o mundo e manter um estilo de vida saudável é possível sim! E é ótimo porque ,basicamente, vai dar-nos mais e mais anos para explorar mais e mais o mundo! 

wander-and-nutrition

Wander & Nutrition

Deixe um comentário